O comandante-geral da polícia moçambicana, Bernardino Rafael, pediu o envolvimento das comunidades para evitar o recrutamento de jovens por grupos que têm protagonizado ataques armados em Cabo Delgado.

“Pedimos as comunidades para alertar a juventude para evitar ser recrutada para engrossar as fileiras dos malfeitores”, disse Bernardino Rafael, falando num encontro com líderes comunitários na província de Cabo Delgado, citado pela Agência de Informação de Moçambique (AIM).

O comandante geral da polícia disse que as autoridades intercetaram recentemente cerca de 250 jovens provenientes da província de Nampula e que estavam a caminho de Cabo Delgado para se juntar a grupos armados que têm protagonizado ataques na província.

“As Forças de Defesa e Segurança estão a trabalhar para melhorar a ordem e segurança públicas na província de Cabo Delgado”, acrescentou o comandante-geral da PRM.

Os ataques armados na província de Cabo Delgado, onde nascem os megaprojetos de gás natural, já provocaram, pelo menos, 350 mortos e afetaram 156.400 pessoas.

Nunca houve uma reivindicação da autoria dos ataques, com exceção para comunicados do grupo “jihadista” Estado Islâmico, mas cuja presença no terreno especialistas e autoridades consideram pouco credível.


Publicidade