O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, disse hoje que a captura de supostos membros dos grupos armados responsáveis pela violência armada no norte do país poderá ajudar a identificar o “rosto” dos autores desta ação.

“Espero que as últimas capturas ajudem a encontrar o rosto”, declarou Filipe Nyusi, quando apresentava na Assembleia da República a informação sobre o estado da Nação.

Filipe Nyusi assinalou que, até ao momento, os autores da violência na província de Cabo Delgado (norte do país) não mostraram a cara nem manifestaram as suas intenções.

“Apelamos aos jovens para que não se deixem enganar com falsas promessas de emprego e outras que têm sido feitas pelos autores da violência”, disse.

O chefe de Estado moçambicano assinalou que a resposta das Forças de Defesa e Segurança impediu que a ação dos grupos armados se alastrasse para fora de Cabo Delgado e permitiu proteger as populações e propriedades.

A província de Cabo Delgado, palco de uma intensa atividade de multinacionais petrolíferas que se preparam para extrair gás natural, tem sido cenário de ataques de homens armados desde outubro de 2017, ações que já provocaram mais de 200 mortos e a destruição de centenas de casas.

As leituras sobre as motivações dos grupos divergem, com algumas correntes a apontar para o extremismo islâmico e outros para ações de banditismo relacionadas com o tráfico de recursos naturais, nomeadamente madeira e minérios.

As Nações Unidas já alertaram para o aumento das ações de “grupos terroristas” e de tráfico de droga em Moçambique, com destaque para o norte, considerando que o país está vulnerável após a passagem este ano de dois ciclones (Idai e Kenneth), um dos quais atingiu Cabo Delgado.

Publicidade