A rede visa identificar actividades de implementação conjunta e elevar a qualidade dos resultados de pesquisa em ambos os países.

Celso Laice, Secretário Permanente do ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional, que anunciou o facto, destacou que o desafio da investigação científica nos dois países, e no mundo inteiro tem a ver, na maioria dos casos, com os mecanismos de acesso aos fundos para a investigação.

A fonte falava, terça-feira, na Conferência Luso-Moçambicana que hoje termina em Maputo, destacou que o governo de Moçambique, reconhecendo os desafios que o país enfrenta na área de investigação científica, criou o Fundo Nacional de Investigação (FNI), para o financiamento de projectos e acções no domínio da investigação e inovação tecnológica.

A conferência tem como objectivo fazer a apreciação do estágio da investigação científica nos dois países com vista a criação da referida rede de investigadores que surge no âmbito da implementação do Memorando de Entendimento entre o Fundo Nacional de Investigação (FNI) de Moçambique e a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) de Portugal, assinado em Maio de 2017.

“Em Moçambique, o Governo tem apostado na promoção da Ciência, Tecnologia, Inovação e Transferência de Tecnologia catalisadores do crescimento e desenvolvimento sócio-económico, condições essenciais para a criação do bem-estar social, dando passos para o desenvolvimento da investigação científica, tecnológica e inovação através da aprovação de vários instrumentos legais”, disse Laice.

Apontou, como exemplo, a aprovação da Política de Ciência e Tecnologia (PCT), da Lei das Telecomunicações, da Estratégia do Governo Electrónico de Moçambique, da Estratégia de Ciência, Tecnologia e Inovação de Moçambique (ECTIM).

Foram também aprovadas, a Lei das Transacções Electrónicas, a criação do Fundo Nacional de Investigação (FNI) e do Fundo de Desenvolvimento Institucional (FDI), a atribuição de Bolsas de Estudos para Docentes e Investigadores e a promoção do Programa “Iniciação Científica” para jovens universitários.

Publicidade