“É possível que, com o passar do tempo, haja mais indivíduos ou entidades legais, em Moçambique ou no estrangeiro, que podem ser envolvidos, e o âmbito das alegações e compensações procuradas pelas partes pode mudar”, alerta o Governo no Memorando de Solicitação de Consenso que foi enviado aos investidores, na qual afirma que “o resultado dos processos pode ter um impacto real na capacidade de servir esta nova dívida e outras obrigações de dívida externa”.

O documento, a que a Lusa teve acesso, detalha todos os procedimentos de reestruturação dos títulos de dívida pública, e alerta que “o resultado destes procedimentos, os fatos e as alegações que são feitas durante o curso dos processos podem ter implicações financeiras, legais e políticas adversas em Moçambique, e podem afetar o sentimento dos investidores sobre Moçambique e podem ainda afetar material e negativamente o preço e a liquidez dos novos títulos”.

Publicidade