A iniciativa vai divulgar conteúdos radiofónicos sobre temas que estimulem a produtividade e competitividade nas zonas rurais e inclui formação de membros de rádios comunitárias nas províncias de Inhambane, Sofala e Gaza – onde o programa foi lançado, no posto administrativo de Chidenguele.

A formação vai cobrir temas como tecnologias agrárias, legislação e oportunidades de negócios.

O programa vai ainda disponibilizar equipamentos como computadores de mesa, gravadores e microfones para as rádios e formar os seus colaboradores em técnicas jornalísticas.

O objetivo passa por “informar e ajudar os produtores locais, empresas de comercialização e outros agentes económicos a utilizarem serviços públicos para estimular a economia e o crescimento local”, anunciaram a UE e o Governo.

A iniciativa faz parte do Programa de Desenvolvimento Económico Local (ProDEL), que conta com o apoio financeiro da União Europeia e do Governo da Suécia.

A escolha de rádios comunitárias como parceiras “assenta na importância acrescida” que têm no contexto local e no quotidiano da população.

A UE apoia o ProDEL com 80% de um valor total de 32,5 milhões de euros que inclui os cofinanciamentos do Governo da Suécia (4,7 ME) e do Governo de Moçambique (4,6 ME).

O programa enquadra-se no Acordo de Cooperação assinado entre a UE e Moçambique no Âmbito do 10.º Fundo de Desenvolvimento Europeu.

Os fundos do ProDEL são disponibilizados aos governos provinciais, municipais e distritais como financiamento direto para atividades de promoção do desenvolvimento económico local ou das zonas rurais, por via de atores locais.

O ProDEL está em implementação nas províncias de Gaza, Inhambabe e Sofala, com um total de 53 infraestruturas, incluindo pontes, estradas rurais, tanques para tratamento veterinário e mercados rurais.

Publicidade