Em conferência de imprensa no final da sessão do Conselho de Ministros, a ministra da Administração Estatal, Carmelita Namashulua disse que as restantes categorias salariais no Estado terão um aumento de 5%.

De acordo com Carmelita Namashulua, o executivo decidiu ainda disponibilizar 1,8 mil milhões de meticais (24,5 milhões de euros) para despesas relacionadas com promoções, progressões e mudanças de carreira.

“O Governo moçambicano vai continuar a fazer uma reflexão conjunta com os sindicatos para ir melhorando a condição de vida dos funcionários e agentes do Estado, apesar da situação económica em que o país se encontra”, acrescentou.

Devido às dificuldades financeiras que o país enfrenta, o executivo determinou que apenas serão contratados novos funcionários para a saúde, educação e defesa e segurança, frisou.

“Nos restantes setores, iremos priorizar a mobilidade”, declarou.

Ainda na sessão de hoje, o Conselho de Ministros de Moçambique decretou novos salários mínimos para oito áreas de atividades no setor privado.

Segundo a tabela apresentada pela ministra do Trabalho, Emprego e Segurança Social, Vitória Diogo, os ordenados mínimos no setor privado terão aumentos entre 6% e 18,7%, com efeitos a partir de 01 de abril.

Os valores permitem recuperar face à perda de poder de compra, uma vez que estão acima da inflação anual de 2017 com uma variação homóloga de 5,65%, segundo dados publicados pelo Instituto Nacional de Estatística.

O aumento mais baixo será no setor salineiro, com um incremento de 6% para 5.018 meticais (66,87 euros), e a subida mais alta do salário mínimo vai acontecer nas grandes companhias do setor mineiro, com 18,68% para 8.263 meticais (110 euros).

O salário mínimo mais baixo do país passa a ser o de pescadores de ‘kapenta’, peixe de águas interiores, que sobe 7,5% e se fixará em 4.063 meticais (54 euros).

O setor de agricultura, pecuária, caça e florestas era o mais mal pago em 2017 e sobe uma posição este ano, passa para penúltimo da lista, com um valor de 4.150 meticais (55,3 euros) graças à subida acordada de 13,93%.

O melhor salário mínimo de Moçambique vai continuar a ser o do setor de serviços financeiros, bancos e seguros, com uma subida de 14,4% para 11.987 meticais (159 euros).

Publicidade