De acordo com um comunicado da Direção Nacional de Veterinária, citado hoje pelo diário Notícias, “está proibida a circulação de bovinos, caprinos ovinos e suínos provenientes destas províncias destinados ao abate e a comercialização”.

“O Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar continuará a trabalhar e a monitorizar a situação, de modo impedir a eclosão da doença”, refere o documento, que garante que as ações de fiscalização nas estradas nacionais vão ser intensificadas.

O surto da febre aftosa foi registado no dia 25 de maio em cinco distritos, nomeadamente Mogovolas (Nampula), no norte, Angónia e Changara (Tete), no centro do país, e Limpopo e Bilene (Gaza), sul de Moçambique.

A febre aftosa é uma doença altamente contagiosa, que só afeta animais, podendo ter graves consequências económicas, quer pelo abate dos animais infetados, quer pelo embargo às exportações de gado, carne e produtos lácteos.

Publicidade