O ex-ministro do Ensino Superior angolano Adão Gaspar Ferreira do Nascimento, que morreu na semana passado num hotel em Moçambique, terá falecido devido a causas naturais, indica o relatório de autópsia produzido pelo Serviço de Medicina Legal da Polícia Moçambicana, divulgado esta terça-feira.

De acordo com a Embaixada de Angola em Maputo, a autópsia feita a Adão do Nascimento, encontrado morto a 12 deste mês num hotel de Maputo, revelou alterações anatomopatológicas, “compatíveis com a doença cardiovascular crónica aguda”.

“Conclusivamente, tratou-se de choque cardiogénico resultante do enfarte agudo do miocárdio como consequência de uma cardiopatia isquémica”, pode ler-se na nota.

Relativamente às lesões traumáticas encontradas na cabeça, o relatório, segundo a missão diplomática angolana em Moçambique, adianta que nada têm a ver como causa de morte, “presumindo-se terem resultado da queda no momento do evento cardiovascular”.

As investigações demoraram três dias e foram feitas pelo Serviço Nacional de Investigação Criminal de Moçambique, em coordenação com o Serviço de Medicina Legal e a Procuradoria Provincial da cidade de Maputo.

O corpo de Adão Gaspar Ferreira do Nascimento, ministro do Ensino Superior entre 2012 e 2017, chega na noite de quarta-feira a Angola, prevendo-se que o funeral decorra ainda esta semana, tudo dependendo da vontade da família.

Publicidade