Os municípios de Santo Antão começam a dar passos visando a concretização da sociedade de desenvolvimento regional, em resposta ao desafio lançado pelo Governo de se “acelerar” o processo de criação dessa sociedade, iniciado há dois anos.

A Associação dos Municípios de Santo Antão já analisou esta questão e deseja, conforme o líder associativo Orlando Delgado avançar “rapidamente” com o processo de criação da sociedade de desenvolvimento (Sodesa), já que a ilha precisa dessa “estrutura de planificação do desenvolvimento regional”.

O presidente da câmara do Porto Novo, Anibal Fonseca, entende, por sua vez, que  Santo Antão está à altura do desafio lançado pelo Governo, pelo que os municípios vão trabalhar para que a Sodesa seja uma realidade, dada a sua importância no processo de desenvolvimento de Santo Antão.

Os autarcas santantonenses acreditam que a Sodesa contribuirá para “alavancar” o desenvolvimento económico desta região, com aposta no turismo, na agricultura, na pecuária, nas pescas, de entre outros sectores.

O vice-primeiro-ministro, Olavo Correia, desafiou, há uma semana, aos municípios santantonenses e aos privados nesta ilha a acelerarem o processo de criação da Sodesa, na forja de 2017.

As câmaras municipais de Santo Antão vão contar com “todo o suporte” do Governo na criação da Sodesa, que, segundo Olavo Correia,  será “determinante” na promoção do desenvolvimento integrado e sustentado” desta ilha.

“Queremos trabalhar com as câmaras municiais, com os privados e com a Câmara do Comercio de Barlavento para criarmos essa sociedade, para promover o desenvolvimento integrado desta ilha, a nível do turismo, da agricultura, das pescas, das novas tecnologias e das energias renováveis”, explicou o vice-primeiro-ministro, durante um encontro com empresários de Santo Antão.

O Governo vai disponibilizar um consultor para trabalhar com as autarquias e com os privados interessados na criação dessa sociedade, que terá como responsabilidade a gestão de todo o ativo do Estado existente em Santo Antão.

A ideia de criação dessa sociedade foi lançada em Março de 2017, no Porto Novo, durante a realização da mesa redonda sobre o turismo rural em Santo Antão, pela empresa cabo-verdiana PD Consult e pelo empresário santantonense José Pedro Oliveira.

Segundo os mentores da iniciativa, a Sodesa surgiu da necessidade de se criar em Santo Antão uma estrutura capaz de gerir os ativos do Estado nesta ilha, a começar pela grande extensão de terrenos existente no Porto Novo.

Publicidade