A reestruturação do Museu do Grande Prémio de Macau vai custar cerca de 92 milhões de euros, afirmou hoje uma representante dos Serviços de Turismo (DST), acrescentando que o espaço deverá abrir antes do final do ano.

“Este número [830 milhões de patacas, cerca de 92 milhões de euros] diz respeito ao projeto total, mas ainda é uma estimativa”, indicou Wan Wai, em conferência de imprensa sobre o dia internacional dos museus.

O Governo avançou com a reestruturação deste espaço museológico em 2016, altura em que propôs um orçamento quase três vezes inferior.

Num edifício de quatro andares, o novo museu vai dividir-se em “diferentes zonas, conforme as corridas”. O GP de Macau inclui três corridas de carros, as taças do mundo de Fórmula 3, GT e de carros de turismo (WTCR), e o Grande Prémio de motos, além da taça de carros de turismo de Macau e a taça da Grande Baía.

“Vamos também acrescentar elementos multimédia, apresentando a história do Museu e a história da corrida”, acrescentou Wan Wai.

O Museu do Grande Prémio de Macau foi inaugurado em 1993, em comemoração do 40.º aniversário do maior evento desportivo do território.

Quanto à inauguração do novo espaço, Wai apontou: “talvez novembro ou dezembro, não temos ainda uma data definida porque as obras ainda estão em processo”.

Disputado no icónico traçado citadino de 6,12 quilómetros, o Grande Prémio é o maior evento desportivo de Macau e a prova é considerada uma das mais perigosas do mundo. Este ano realiza-se entre os dias 14 e 17 de novembro.

Na conferência de imprensa, o diretor do Museu de Arte de Macau (MAM), Loi Chi Pang, anunciou que 14 museus temáticos locais vão participar na “Feira do Dia Internacional dos Museus de Macau 2019”, no dia 12 de maio, no espaço Anim’Arte Nam Van.

O programa prevê atividades com recurso à tecnologia de realidade virtual, disse.

No mesmo dia, o Centro de Ciência de Macau propõe três palestras da série científica da Era de Ouro da Ciência Árabe.

Publicidade