Níger: Estados Unidos foram autorizados a armar drones contra terroristas

O Níger anunciou no fim-de-semana ter autorizado os Estados Unidos a armar os seus drones presentes no seu território e que até agora se dedicavam exclusivamente à vigilância dos movimentos dos grupos terroristas que operam na região do Sahel.

0

“É uma negociação que temos vindo a dedicar há já algum tempo (com os Estados Unidos). Armar os drones é uma opção que tomamos antes da tragédia de Tongo Tongo”, declarou o ministro nigerino da Defesa, Kalla Moutari, à rádio estatal.

A 04 de Outubro, quatro soldados americanos e quatro militares nigerinos foram mortos numa emboscada criada pelos jihadistas em Tongo Tongo, uma aldeia da região de Tillabéri, perto do Mali.

As autoridades nigerinas estiveram até ao momento relutantes sobre o questão de armar os drones americanos no seu solo.

“Estamos a enfrentar pessoas muito bem armadas” e a entrada em cena dos “drones armados constitui uma resposta adequada e decisiva para combater o terrorismo”, explicou o ministro.

O Níger “está determinado em assegurar a paz e a segurança” do seu território “com a inclusão da decisão de armar os drones americanos”, garantiu.

Os americanos estão presentes no Níger, particularmente numa base do aeroporto de Agadez (norte), de onde os drones descolam para monitorar a zona do Sahel, incluindo o Mali e a Líbia, dois Estados vizinhos do Níger.

Em Outubro de 2015, o Níger e os Estados Unidos assinaram um acordo militar sobre “segurança e boa governação” em que os dois países se comprometem a “trabalhar juntos na luta contra o terrorismo”.

No quadro deste acordo, o exército americano deve também “formar os militares nigerinos na luta contra o terrorismo”.

Além dos americanos, a França, antiga potência colonial e parceira privilegiada do Níger, possui uma base no aeroporto de Niamey, a partir da qual operam os aviões de caça Rafale e os drones não armados.

No âmbito da Operação Barkhane, as forças especiais francesas dispõem também de uma base em Madama, no norte do Níger.

Em princípios de Setembro, a ministra francesa das Forças Armadas, Florence Parly, anunciou que o seu país armaria seis drones Reaper entregues em 2019. Cinco Reaper estão baseados em Niamey para operações de vigilância dos jihadistas no Sahel e outro em Cognac, no sudoeste de França.

Publicidade