Uma violenta colisão entre dois comboios de passageiros na cidade brasileira do Rio de Janeiro deixou na manhã desta quarta-feira ao menos nove pessoas feridas, uma delas com gravidade, e muitas outras com escoriações diversas mas que não precisaram ser levadas para hospitais. A colisão ocorreu às 06 e 55 locais, 09 e 55 em Lisboa, junto à estação São Cristóvão, na zona norte da cidade.

Às 11 horas locais, 15 horas em Lisboa, mais de quatro horas após o acidente, os bombeiros ainda trabalhavam desesperadamente para tentar retirar do meio da amálgama de ferros retorcidos o maquinista de uma das composições. Ele estava a ser hidratado e a receber oxigénio e os cuidados possíveis através de uma pequena abertura feita no teto da composição, enquanto outros bombeiros tentavam abrir um buraco maior na lateral para ele poder ser resgatado.

O choque foi tão violento que a carruagem da frente de uma das composições foi arrancada do chassis, que se chocou com o muro que separa a linha dos comboios de superfície com a do metro e o derrubou. Bombeiros de três quartéis do centro e da zona norte da capital fluminense acorreram ao sinistro e tiveram de usar alicates hidráulicos para cortarem as chapas de aço das carruagens e libertar vários passageiros.

Quando a colisão aconteceu, passageiros nas carruagens caíram uns por cima dos outros e entraram em pânico, e foram outros passageiros que conseguiram acalmá-los e de alguma forma organizar a saída dos que não ficaram presos entre os ferros retorcidos. O acidente não teve consequências humanas ainda mais graves porque ocorreu já praticamente dentro da estação, onde as composições circulam em velocidade mais baixa e porque os dois comboios iam no sentido do contrafluxo e estavam quase vazios..

O embate foi entre dois comboios da linha que liga a estação Central do Brasil, no centro do Rio de Janeiro, ao ramal de Deodoro, na periferia. Ainda não são conhecidas as causas oficiais do acidente e por que razão dois comboios que seguiam na mesma linha e deveriam respeitar uma distância de segurança se encontraram e chocaram na estação, o que pode indiciar falhas nos equipamentos de sinalização e alerta ou humanas.

Publicidade