Durante um mês, a CDC Angola realizará dez espetáculos em diversas cidades entre a Holanda e Portugal, com início amanhã em Amesterdão, no Afro-Vibes Art Festival, com a exibição da referida peça, ao que se seguirá a participação na Quinzena Internacional de Dança em Almada, na próxima quinta-feira, 21h30, no Auditório Municipal Fernando Lopes-Graça.

Até final do mês, a CDC Angola apresentará espetáculos em Faro (dias 11 e 12), Montemor-o-Novo (16), Ponte de Lima (25) e Coimbra (31). Nos dias 22 e 23 de Outubro, a CDC Angola fará uma apresentação especial no Porto com a peça “Mysterium Coniunctionis”, de Joana von Mayer Trindade e Hugo Cristóvão. O programa será complementado com masters classes e conferências.

No dia 8, será apresentado o documentário sobre a CDC Angola “Outros rituais mais ou menos”, de Jorge António, na Cinemateca Portuguesa em Lisboa e, no dia 28, o livro “Máscaras cokwe: a linguagem coreográfica de Mwana Phwo e Cihongo” de Ana Clara Guerra Marques, na Universidade de Coimbra.

O “Monstro Está Em Cena” é uma peça que convida à reflexão sobre o ser humano enquanto protagonista de um mundo onde cresce a violência, o individualismo e a intolerância. Os novos modelos capitalistas baseados no consumismo e nos conflitos entre os diferentes grupos étnicos, religiosos ou políticos promovem o surgimento de novos “muros” e a resignação perante as assimetrias entre fartura e miséria. As questões de género e a condição de inferioridade imposta à mulher são, igualmente, alvo desta desconfortante introspeção sobre a condição humana. A peça foi estreada a 14 de Junho de 2018, no Camões – Centro Cultural Português, em Luanda.

Esta companhia, à qual se deve a grande transformação do panorama da dança em Angola, foi fundada em 1991, é membro do Conselho Internacional de Dança da Unesco, possui um historial de centenas de espetáculos de dança apresentados em Angola e em todos os continentes, sendo hoje a principal referência da dança cénica angolana no estrangeiro.

Publicidade