Em conferência de imprensa, o líder da bancada parlamentar do PAICV explicou que as decisões do Governo são um “sinal de reconhecimento” sobre a gravidade da situação de insegurança em Cabo Verde.

“Todos os cabo-verdianos deverão ficar cientes que o Governo reconheceu pela primeira vez que há uma situação difícil no que se refere à segurança do país”, afirmou Rui Semedo, explicando que foram anunciadas medidas para tentar resolver a “questão da insegurança”.

O primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva anunciou, na segunda-feira, 14 medidas para combater a criminalidade urbana no país, entre elas a revisão da lei das armas e o agravamento de penas em caso de reincidência.

As medidas foram anunciadas após uma reunião alargada sobre segurança realizada no Palácio do Governo, na Praia, ilha de Santiago, com a participação dos ministros responsáveis pelos setores da Administração Interna, Justiça e Trabalho.

Segundo o governante, a reunião teve como foco o reforço da prevenção e combate a crimes de furto e de roubo com recurso à violência ou a armas, incluindo o tráfico interno de drogas e o uso de armas.

“São crimes que têm causado maior alarme social e que mais contribuem para o sentimento generalizado de insegurança”, notou Ulisses Correia e Silva, que deu conta de um conjunto de “ações prioritárias” que vão ser implementadas para aumentar a eficácia da ação policial, judicial e da autoridade municipal.

Entre as iniciativas está a revisão da lei de armas no país, onde muitos crimes são cometidos por armas de fogo e por ex-reclusos, pelo que também vai haver um agravamento da pena em caso de reincidência criminal, referiu o primeiro-ministro.

Outra medida saída da reunião é a revisão do regime de aplicação do termo de identidade e residência, que tem suscitado grande debate no país, onde os juízes são acusados pela polícia de deixar em liberdade detidos em flagrante delito.

Cabo Verde, sobretudo a cidade da Praia, tem registado vários crimes violentos, com destaque para a morte de um polícia, um atentado ao presidente da câmara municipal, assaltos e roubos a estabelecimentos comerciais e nas ruas.

Publicidade