A Renamo, principal partido da oposição em Moçambique, e o MDM, terceira força, manifestam-se céticos quanto à anunciada aposta da Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo, no poder), de procurar consensos entre as três bancadas parlamentares.

O Presidente moçambicano e da Frelimo, Filipe Nyusi, exortou a bancada parlamentar do seu partido a privilegiar o consenso, principalmente em matérias estruturantes da vida do país, durante o discurso de tomada de posse dos deputados, no dia 13, após as eleições gerais de 15 de outubro passado.

Em entrevista à Lusa, a primeira após a posse, o chefe da bancada da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo) na Assembleia da República (AR) manifestou dúvidas em relação à “sinceridade” do compromisso da Frelimo com o consenso.

Publicidade