O partido são-tomense Ação Democrática Independente (ADI) anunciou hoje que vai apresentar uma moção de censura contra o governo do primeiro-ministro Jorge Bom Jesus que acusa de “malabarista” e de “conluio com o presidente do parlamento”.

O anúncio foi feito pelo líder da bancada, do principal partido da oposição, Abenildo de Oliveira, durante uma sessão plenária destinada a avaliar a aplicação do Estado de Emergência, “decretado pelo presidente da República em virtude pandemia Covid-19”.

“Entendemos que devemos chamar o senhor primeiro-ministro para o parlamento, num outro momento para que todos os deputados tenham oportunidade de intervir. Assim, no quadro regimental, nós chamaremos o senhor primeiro-ministro, através da apresentação de uma moção de censura”, justificou Abenildo de Oliveira.

Na sessão plenária de hoje, realizado no anfiteatro do Palácio dos Congressos, para manter o distanciamento entre os seus membros, foi reservado ao ADI 30 minutos, um tempo que o seu líder parlamentar considerou insuficiente para “confrontar” o chefe do executivo com “97 questões” de “interesse nacional”.

O líder da bancada do ADI lamentou que, “há já muito tempo” que o primeiro-ministro não comparece em sessão parlamentar, tomando como “caso flagrante” a ausência o chefe do governo em abril, durante a aprovação de “um documento tão importante numa pandemia que se tem revelado com efeito muito nefasto para o país”, numa referência ao estado de emergência.

Abenildo de Oliveira acusou o primeiro-ministro, eleito pelo Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe – Partido Social Democrata(MLSTP-PSD), de “inabilidade de gerir pequenos problemas como a água para as pequenas comunidades quando o combate a pandemia requer água potável não só para consumo como para lavagem das mãos”.

“O presidente da Assembleia, Delfim Neves em conluio com o primeiro-ministro ludibriaram os deputados, enganaram o Presidente da República para promulgar uma lei, um documento que os deputados não discutiram, violando a constituição da República”, acusou o ADI.

O ADI acusou ainda o governo de “não saber lidar” com a pandemia da covid-19 e de ter feito uma gestão pouco criteriosa dos apoios externos para evitar a propagação e no combate a doença.

A bancada parlamentar do ADI não avançou quando vai remeter à mesa do parlamento a proposta de moção de censura contra o governo, mas fonte do partido disse à Lusa que a direção está a “diligenciar para que este assunto seja discutido já na próxima sessão parlamentar”.

O ADI é o principal partido da oposição e tem o maior número de deputados do hemiciclo com 25 eleitos, seguido do MLSTP-PSD com 23, que tem um acordo de governo com o apoio de cinco parlamentares de uma aliança partidária que ficou em terceiro lugar.

Publicidade

1 COMENTÁRIO

  1. Agora, O ADI acordou reconhecendo que em democracias primeiro ministro deve dar explicacao aos Parlamentares respondendo as questoes levantada por deputado. Ora, nao deixa de interessante por quanto este mesmo ADI estava no poder nunca observou esta norma e agora que esta na oposicao tem a lata de exigir o que eles nunca fizeram.

    Assim vai a polica dos politiquices sem coerencia.

    Seria bom que Deputado Abdinilde nos informasse quantas vezes PT foi ao Parlamento prestar as contas ou dos seus ministro?

    Nao tem moral nem vergonha na puta da cara. Nem sequer para responder sobre os fundos e emprestimos nunca deram a cara

    Pensam que encanam !!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here