“Os embaixadores tomaram nota dos últimos desenvolvimentos, incluindo a receção da carta [enviada sábado à noite pelo primeiro-ministro Boris Johnson] a pedir um prolongamento do prazo”, disseram à EFE fontes europeias.

As mesmas fontes apontaram que, na reunião dos embaixadores dos Estados-Membros da UE, que durou “um pouco menos” de 15 minutos, ficou acordado os vinte e sete países da União Europeia prosseguirem com os preparativos para validar o acordo de saída alcançado entre Londres e Bruxelas.

Os diplomatas enviaram o acordo para aprovação no Parlamento Europeu, que se reúne em Estrasburgo na próxima semana.

Numa sessão extraordinária na Câmara dos Comuns, os deputados britânicos aprovaram no sábado uma emenda solicitando um adiamento do “brexit”, que levou o governo de Boris Johnson a retirar a votação planeada do acordo.

Ao não votar-se o acordo, entrou automaticamente em vigor a Lei de Benn, elaborada há algumas semanas pelos mesmos deputados, com o objetivo de impedir uma saída britânica não negociada a 31 de outubro.

A alteração adotada no sábado pretende funcionar como uma salvaguarda de segurança, caso o procedimento parlamentar da lei do “brexit” não fique concluído até ao dia 31, e impedir o Reino Unido de sair da UE sem acordo.

No entanto, o governo britânico já veio hoje reiterar que é sua intenção deixar a União Europeia no dia 31 de outubro.

Publicidade