Olavo Correia reuniu hoje o comité de supervisão do projeto, tendo explicado no final que as obras já estão a 40% da execução total, embora admitindo uma derrapagem financeira de cerca de 30% do custo inicialmente previsto.

“Está a andar muito bem, não obstante os atrasos iniciais que já foram superados. O Governo está convicto que em 2020, no máximo 2021, teremos o Parque Tecnológico pronto”, afirmou Olavo Correio, que é também ministro das Finanças.

O Parque Tecnológico é um projeto financiado pelo Banco Africano de Desenvolvimento e pelo Estado de Cabo Verde, tendo as obras arrancado em 2015.

Prioridade à juventude

Nas declarações de hoje aos jornalistas, Olavo Correia acrescentou que a prioridade passa agora por preparar o “conceito” da infraestrutura e “como é que este parque pode ser útil aos jovens cabo-verdianos”. Desde logo definindo “que tipo de empregos poderá criar” ou “que tipo de empresas e soluções poderá potenciar”.

“O Governo quer trazer grandes empresas tecnológicas a Cabo Verde. Na essência, o desafio é como poderemos fazer de Cabo Verde um país digital, com uma âncora no parque tecnológico”, explicou, garantindo que “essas questões” serão “respondidas” pela equipa criada “para traçar essa estratégia”.

“Para que, quando a parte do betão estiver concluído, tenhamos igualmente toda a parte do software montado e a estratégia bem traçada”, sublinhou o vice-primeiro-ministro de Cabo Verde.

Publicidade