A obra narra a história de três irmãs de nacionalidades diferentes, que falam a mesma língua, de entre eles um angolano, Omar Menezes, que interpreta o papel de Francisco, o brasileiro Emílio Dantes, como José, e o português Thelmo Fernandes que interpreta o papel de Miguel.

A peça traça o confronto de três vidas totalmente diversas, que se juntam para discutir os respectivos futuros, a partir do que lhes restam, diante do velório do pai. Em jogo está uma fortuna deixada pelo pai que é empresário. 

Recheada de humor, a obra é uma encenação que tem como tema principal a família. Três irmãos, de diferentes continentes: África, América e Europa, que se conhecem a partir da morte do pai, um senhor rico que apesar de conquistar o mun-do, se ausentou na criação dos filhos.

É uma comédia. A montagem e texto são de Sílvio Guindane, que teve como desafio, contar uma história que unisse três falantes do mesmo idioma, explorando as riquezas e diferenças da língua como uma marca de humor, apesar da cena dramática estar sempre presente.

A história da peça obriga a produção a caminhar por países que falam português, de maneiras diferentes. Esta agenda, reconhecida pelos actores como uma tarefa difícil, faz com que o espectáculo seja apresentado em Cabo Verde, Moçambique, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Portugal.

Para Omar Menezes, a história relata um pouco da realidade vivida em várias sociedades, principalmente, a angolana, a portuguesa e a brasileira, acrescentou que a falta de apoio faz com que muitos encenadores não trazem projectos do género para Angola.

Publicidade