A cimeira cuja maioria dos países africanos já confirmou a participação, serve como uma plataforma que reúne a sabedoria e a força dos povos chineses e africanos, um total de 2,5 biliões de pessoas que visa a promover o desenvolvimento comum.

Durante o seu périplo africano, em Julho último, o Presidente chinês, Xi Jinping declarou que a China esperava trabalhar com a parte africana para analisar a cooperação amigável sino – africana, e construir uma comunidade de destino sino – africana mais próxima.

Por seu lado, os dirigentes africanos expressaram o seu apoio e as suas expectativas para a cimeira de Pequim.

“Pela primeira vez, a África tem um parceiro internacional digno e confiável”, disse um especialista africano.

Durante décadas, a China e a África sempre foram sinceras, amigáveis, unidas e cooperativas, e tornaram-se uma comunidade de destinos e uma comunidade de interesse.

Diante da instabilidade e das incertezas em todo o mundo, a Cimeira de Pequim permitirá que a China e a África trabalhem lado a lado para enfrentar os desafios e abrir novos caminhos para a cooperação em que todos ganham.

Nos últimos vinte anos, a África cresceu  rapidamente, estabelecendo uma base sólida para o seu auto-desenvolvimento sustentável e oferece novas oportunidades de cooperação com a China.

Publicidade