Nos minutos iniciais, a formação do Cuanza-Sul deu mostra de querer discutir o jogo pelo jogo, com Lisandro Lopes a desperdiçar uma clara oportunidade para inaugurar o marcador, aos cinco minutos. Com o guarda-redes Gerson já batido, o avançado do Libolo rematou a bola para as malhas laterais.

A jogar num bloco alto, baixo e médio baixo, a equipa treinada por André Makanga dificultava a estratégia montada por Antonio Cosano, que dispôs a equipa em 4-4-2.

Depois do primeiro quarto de hora, o vice-campeão angolano conseguiu libertar-se das amarras táticas e passou a incomodar a baliza de Lambito, jogador forjado nas escolas do Petro de Luanda.
Com o jogo controlado, o atual líder do campeonato obrigou a equipa forasteira a baixar as linhas mais adiantadas no terreno, com intuito de travar a avalanche ofensiva do conjunto do Catetão.

Em consequência da pressão exercida sobre o oponente, os petrolíferos adiantaram-se no marcador por intermédio do inevitável Tony, decorridos 26 minutos. O livre executado por Ricardo Job, o brasileiro antecipou-se aos centrais do Libolo e marcou de cabeça, sem hipótese de defesa para o guardião Lambito.

Durante a primeira etapa da partida, a equipa de Tony Cosano superiorizou-se ao Libolo, que com o decorrer do tempo dava sinais de desistência, porque não encontrava argumentos suficientes para contrapor o opositor.

No regresso dos balneários, a formação do Eixo Viário voltou a mandar no jogo, com os libolenses a cometerem os mesmos erros do primeiro tempo. Sabendo das fragilidades do adversário, os tricolores mantiveram o pé no acelerador e Tony bisou, aos 51 minutos.
Através de uma má abordagem de Marco Airosa, o ganês Isaac Mensah assistiu o goleador brasileiro, que desferiu um portentoso remate à entrada da área. Dado por perdido, o Libolo aos poucos caiu na real, e aos 68 minutos, Tony fechou a contagem.

Depois de uma temporada no banco de suplentes, após o golo consentido na derrota com o 1º de Agosto, Gerson voltou a alinhar a titular na baliza do Petro, condição influenciada pela lesão contraída por Élber, no desafio com o USMA da Argélia, referente à segunda jornada da Liga dos Clubes Campeões Africanos de futebol.

O árbitro Ailton Carmelino não conseguiu segurar o desafio na etapa complementar, ao permitir que os jogadores do Libolo optassem pela prática de jogo perigoso, o que custou a expulsão do defesa Lopes Simão, por acumulação de cartões amarelos, tal como o diretor desportivo Cacharamba Júnior.

Cuando Cubango e Sagrada Esperança abrem 15ª ronda
As formações do Cuando Cubango FC e do Sagrada Esperança, defrontam-se hoje às 15h00, no Estádio dos Eucaliptos, em jogo de antecipação da 15ª jornada do Girabola, rodeado de interesse e de resultado imprevisível.

Motivado com a vitória sobre o Progresso Sambizanga e empate diante do Desportivo da Huíla, o Cuando Cubango espera manter o percurso de bons resultados no campeonato, com o objetivo de fazer os pontos necessários para garantir a manutenção no campeonato. Mas, não tem seguramente um jogo facilitado, visto que a formação diamantífera pretende pontuar na deslocação ao Cuito, Bié.

Na tabela classificativa, as duas equipas estão igualadas, com 17 pontos.

Publicidade