A diretora da PJ, Marbel Rocha, disse a jornalistas que esta “é a maior apreensão de droga ” efetuada por agentes da sua instituição que contaram com a “cooperação da PJ portuguesa”.

De acordo com a responsável, as drogas vieram do Brasil, passando por Portugal, sendo São Tomé e Príncipe o destino final, e chegaram ao país em quatro volumes “dissimuladas em ‘kits’ para bebés”.

“Quem poderia imaginar que dentro de ‘kits’ para bebés, como fraldas e ‘dodots’, iriam conter drogas. Isso demonstra o poder de imaginação dos criminosos”, referiu Marbel Rocha.

“Depois das investigações, foi detido um cidadão de nacionalidade nigeriana que já está em São Tomé há algum tempo e vinha sendo investigado pela PJ”, acrescentou.

Marbel Rocha avançou ainda que do total de drogas duras que entram em São Tomé, “20 por cento já é consumido cá e os restantes saem com destino para outros países”.

O cidadão de nacionalidade nigeriana foi entregue hoje ao Ministério Público.

Publicidade