O primeiro-ministro moçambicano defendeu hoje planos de reassentamento sustentáveis, considerando que as populações realojadas em casos de desastres naturais devem sentir-se atraídas pelas novas zonas.

“É preciso fazer um reassentamento virado para o desenvolvimento. Não podemos colocar a população [num lugar] sem água, escola, estrada e sementes, quando é assim ela volta às zonas de risco”, disse Carlos Agostinho do Rosário.

O primeiro-ministro falava durante uma sessão do governo de Sofala sobre emergência, em consequência das inundações que se registam naquela província do centro de Moçambique.

Publicidade