A Polícia Nacional (PN) de Cabo Verde anunciou hoje que deteve 46 pessoas numa megaoperação realizada na passada sexta-feira em todas as ilhas, em que foram identificados 17 estrangeiros em situação irregular no país.

Em comunicado, a PN informou que durante a megaoperação foram detidas 28 pessoas para identificação, sete por posse de arma branca, cinco por condução ilegal, duas para ser apresentadas ao poder judicial, duas em outros casos, uma por desobediência e outra por condução sob efeito do álcool.

A PN de Cabo Verde adiantou ainda que foram abordados e fiscalizados 135 estrangeiros e detetou 17 em situação irregular no país, 14 foram notificados para comparecer na Direção de Estrangeiros e Fronteiras (DEF), oito conduzidas a esquadra, seis foram aplicadas coimas no valor de 30 mil escudos (272 euros).

Relativamente a objetos apreendidos, a polícia cabo-verdiana contabilizou 386, entre bebidas alcoólicas, droga, arma branca e outras.

Quanto à Guarda Fiscal, foram realizadas 330 atividades, entre elas 162 estabelecimentos fiscalizados, dois encerrados, uma viatura apreendida, 67 garrafas de bebidas espirituosas apreendidas.

No trânsito, a PN fiscalizou 1.533 veículos particulares e apreendeu 36, tal como uma alugada e outra do Estado que também foram apreendidas.

Já as coimas aplicadas a veículos foram 88, num valor total de 947 mil escudos (8,5 mil euros), prosseguiu a PN, em nota assinada pelo diretor e operações e comunicações, Mário Marques.

Relativamente à Polícia Marítima, a PN indicou que fiscalizou 27 embarcações, tendo aplicado uma coima e encontrado um tripulante a trabalhar em situação irregular.

A operação contou com o envolvimento de 491 efetivos da PN, entre Oficiais, Subchefes e Agentes policiais, com apoio de 55 viaturas, oito motociclos e uma embarcação.

Segundo a PN, o objetivo da megaoperação é “transmitir uma maior tranquilidade e segurança pública aos cidadãos e seus bens, bem como a fiscalização das praias de mar e cidadãos estrangeiros residentes”.

Cabo Verde, sobretudo a cidade da Praia, tem registado vários crimes violentos, com destaque para a morte de um polícia, um atentado ao presidente da câmara municipal, assaltos e roubos a estabelecimentos comerciais e nas ruas.

Na segunda-feira, o primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, anunciou 14 medidas para combater a criminalidade urbana no país, entre elas a revisão da lei das armas e o agravamento de penas em caso de reincidência.

Publicidade