Portugal: Está concluída a venda do Novo Banco ao fundo norte-americano Lone Star

0

A venda do Novo Banco foi assinada esta quarta-feira no Banco de Portugal. O fundo norte-americano Lone Star injeta já 750 milhões de euros e mais 250 milhões até ao final do ano para ficar com 75% do antigo BES. Já o Fundo de Resolução fica com 25% e com as contingências no que toca a necessidades de capital decorrentes do contrato.

Na cerimónia de assinatura que decorreu no Banco de Portugal Donald Quintin, diretor geral do fundo norte americano afirmou estar satisfeito por concluir esta operação. Adiantou que o Lone Star “deseja continuar a parceria com as autoridades portuguesas, o Banco Central Europeu e a Comissão Europeia no sentido de tornar o Novo Banco mais forte, mais estável, um pilar do sistema bancário português, focado no mercado doméstico, com o capital, recursos e a experiência necessários para promover o sucesso dos seus clientes e da economia portuguesa”. O responsável do Lone Star referiu ainda numa intervenção sem direito a perguntas que “através desta operação a posição de capital do Novo Banco melhorou significativamente”, e que é “hoje uma instituição sólida e bem capitalizada, posicionada para apoiar os seus clientes a ajudá-los a atingirem os seus objetivos”.

Donald Quintin reconheceu que lhes foi confiada “uma das grandes instituições portuguesas e, tanto nós como os nossos stakeholders encararemos essa responsabilidade de forma muito séria”.

O Lone Star diz acreditar “no futuro da economia portuguesa, reconhecemos a força e a relevância única do novo banco no apoio às pequenas e médias empresas, um motor fundamental para o crescimento de Portugal e hoje queremos deixar uma mensagem de confiança e de esperanca”.

Já o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, disse que “a conclusão desta operação encerra um complexo processo de negociações com o novo acionista, com as instituições europeias e com outras instituições nacionais, em estreita colaboração com o Governo”. E que “a venda do Novo Banco constitui um passo decisivo no reforço da estabilização do sector bancário nacional”.

O fundo morte-americano confirmou em comunicado que por acordo estabelecido com o Fundo de Resolução, o Banco de Portugal e o Banco Central Europeu, Byron Haynes foi nomeado presidente do conselho geral e de supervisão do Novo Banco e António Ramalho permanece como presidente executivo da instituição

Publicidade