A disrupção tecnológica e a transformação digital representam ao mesmo tempo uma oportunidade e um risco para a economia portuguesa, refere António Raposo de Lima, presidente da IBM em Portugal, sublinhando que o país está “no bom caminho” para tirar para ficar no lado dos vencedores numa nova era.

“Estamos no advento de uma nova era, uma era cognitiva que vai para além daquilo que são as plataformas digitais que servem de alavanca a essa nova era, e isso tem repercussão em todos os setores de atividade da economia”, explica, em entrevista ao Jornal Económico.

“Portugal estará no pelotão da frente na aplicação desse tipo de inovações em vários setores de atividade, e a banca não foge a esse pelotão da frente”, sublinha o gestor, que vai abordar temas relacionados com a digitalização na banca numa das sessões da Banking Summit, evento organizado pela Associação Portuguesa de Bancos (APB) e pela SIBS e que vai decorrer nos dias 6 e 7 de fevereiro, no Sud Lisboa Hall.

Além de uma intervenção inicial, Raposo de Lima irá moderar o painel “Inovações tecnológicas: desafios e oportunidades”, com o tema “Beyond Digitalization. Beyond BankingA sessão terá lugar do dia 7, às 9h20 e contará com a participação de Lúcia Leitão, diretora do Departamento de Supervisão Comportamental do Banco de Portugal,  de Paulo Cardoso do Amaral, professor da Universidade Católica Portuguesa e de João Freire de Andrade, que chefia a BIG Start Ventures.

Questionado sobre o tipo de discurso ou conclusões que espera ouvir na cimeira, Raposo de Lima responde: “espero que tenhamos a confirmação daquilo que são factos marcantes hoje em dia no nosso setor financeiro, em particular a forma como está a ser disrupted. Há fatores de disrupção importantes, e há factores novos”.

Destaca o tema da regulação, “que está pendente, o tema da tecnologia estar a introduzir novos factores disruptivos, para além da incorporação da Inteligência Artificial, o próprio modelo operacional onde as fintechstêm vindo a assumir um peso crescente”.

“A par de outras inovações tecnológicas, acredito que isso possa ser um factor de reflexão a ter em conta, e depois perceber as melhores práticas na incorporação desses mesmos fatores disruptivos e a forma como cada uma das instituições tem seguido o seu caminho”, conclui.

A Banking Summit é subordinada ao tema “Os desafios da evolução tecnológica, a mudança comportamental dos clientes, a globalização e o novo enquadramento regulatório do sector bancário”.

A conferência conta com a participação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, do Presidente da Federação Bancária Europeia, do Governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, dos presidentes dos maiores bancos nacionais e de Thierry Mennesson, da Oliver Wyman.

Publicidade