A organização do 45.º Portugal Fashion avançou à agência Lusa que esta edição recebeu perto de 44 mil visitantes nos quatro dias do evento de moda, um número que supera o da última edição, que registou cerca de 37 mil pessoas em quatro dias.

O último dia da Semana da Moda do Porto arrancou no seu ‘quartel general’, na Alfândega do Porto com as coleções das estilistas portuguesas Alexandra Moura e Susana Bettencourt, inspiradas nos bacalhoeiros e no “síndrome do pensamento acelerado”, respetivamente, e encerrou com a nova coleção da dupla Alves/Gonçalves que trouxe à passarela uma “atmosfera mais íntima e ‘underground’”.

Depois de fazer parte do calendário oficial da Semana da Moda de Milão (em fevereiro passado), Alexandra Moura apresentou a sua coleção “Gadidae”, composta por 40 coordenados inspirados na “dureza” da vida dos pescadores e no lado “romântico e delicado” de quem fica em terra.

À Lusa, a estilista adiantou que, na sua coleção, o contraste da história de “quem vai” (pescadores) e “quem vê partir” (as suas mulheres) foi conseguido através da escolha dos próprios tecidos, alternando materiais mais “pesados e rudes” com “roupa feminina mais leve e quase considerada interior”.

Já a ‘designer’ Susana Bettencourt não deixou a passarela indiferente à sua coleção verão/inverno “Super Humano – Hora de Mudar”, coleção que a estilista “guardou em segredo” e que, composta por 40 coordenados, pretende honrar todos os que vivem “nesta era que é de mudança”.

“É um alerta e chamada de atenção de que é preciso criar mecanismos na escola e em casa, e principalmente para os adolescentes”, salientou Susana Bettencourt, adiantando que nesta coleção decidiu conjugar o símbolo do tempo (relógio) com o “novo super-humano em processo”.

Pela sala principal da Alfândega do Porto desfilaram também coleções de criança, a marca Meam, Pedro Pedro for Galp, Concreto e o setor do calçado e carteiras, com marcas como a Fly London, Rufel, Eureka e Nobrand no ‘lineup’ e Maria Gambina.

Mas foi numa “atmosfera mais íntima e ‘underground’”, criada pela dupla portuguesa Alves/Gonçalves para apresentar a sua coleção para a próxima estação quente, que o 45.º Portugal Fashion encerrou portas.

Com o intuito de seguir o caminho trilhado “em direção a um ‘streetstyle sofisticado’”, os estilistas apresentaram 40 coordenados com novas formas e texturas, com destaque para os vestidos voluptuosos e peças modernas.

“A obrigação de um ‘designer’ de moda é apontar novas direções (…). Seguimos um vestuário que alinha numa ótica da modernidade, desconstrução e, ao mesmo tempo, extremamente sofisticado”, afirmou Manuel Alves.

Também presente na Alfândega do Porto esteve o secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, João Torres, que, em declarações à Lusa, afirmou que o setor continuará a “merecer um apoio sólido e muito consciente” por parte do Governo.

“É sempre possível fazer mais e melhor. Estamos muito empenhados em ajudar cada vez mais, através de múltiplas valências, os operadores económicos que querem exportar”, admitiu.

O Portugal Fashion, evento de moda organizado pela Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE), é cofinanciado pelo Portugal 2020, no âmbito do Compete 2020 — Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização, com fundos provenientes do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Publicidade