A autorização para 400 médicos aposentados trabalharem no Serviço Nacional de Saúde (SNS) em 2018 saiu esta sexta-feira em Diário da República, abrangendo também todos os contratados desde 2016.

Em Janeiro deste ano, o relatório social do Ministério da Saúde de 2016 mostrou que foi esse ano que teve maior número de profissionais no sector público de saúde desde 2010, ano a partir do qual houve um decréscimo de trabalhadores do sector que só foi invertido a partir de 2015. Os médicos aposentados no activo foram crescendo sempre de 2010 a 2016, ano em que atingiram o valor mais elevado, com 301 profissionais em aposentação, mas que quiseram permanecer a trabalhar no SNS.

O número estabelecido no despacho “abrange os médicos actualmente em funções, assim como a renovação e celebração de novos contratos”.

 

Publicidade