A decisão foi tomada num despacho assinado esta semana pelo secretário de Estado da Comunicação Social, Merício Juvenal dos Reis Akara, e dado a conhecer a todos os funcionários da SECOMS.

Akara determina no texto do despacho “a obrigatoriedade de usar a língua portuguesa no discurso oral, todas as terças-feiras, no período das 08:00 às 12:00”.

O despacho recorda que o português é, a par do tétum, língua oficial em Timor-Leste e que “as línguas oficiais têm de ser usadas pelos trabalhadores da administração direta e indireta do Estado”.

Apesar do português ser a língua de redação de textos legislativos e de marcar parte das comunicações oficiais, o tétum é claramente a língua mais usada na administração pública.

O Parlamento Nacional, onde a maior parte dos debates decorrem em tétum, também tem sessões exclusivamente em português.

Publicidade