Marcelo Rebelo de Sousa chegou na sexta-feira à República Popular da China, para participar no fórum “Faixa e Rota”, iniciativa a que Portugal se associou em dezembro através de um memorando de entendimento, e para uma visita de Estado, entre segunda e quarta-feira, que passa também por Xangai e termina em Macau.

O primeiro lugar a que se deslocou na China foi à Grande Muralha, onde afirmou que as relações luso-chinesas estão num “momento excelente” e que há um “salto qualitativo que é dado, e que é dado durante esta visita, passando de um memorando, que já é do ponto de vista de parceria estratégica muito importante, agora no plano bilateral, para mais do que isso”.

Portugal passa a ter com a República Popular da China “um relacionamento político ao nível de países como a França, como o Reino Unido, como os Estados Unidos da América, implicando encontros anuais entre os primeiros-ministros dos dois Estados”, acrescentou o Presidente da República.

“É um salto qualitativo em termos bilaterais ao nível de potências mundiais ou de países de grande afirmação europeia, e isto é muito significativo”, salientou.

Em declarações à comunicação social, Marcelo Rebelo de Sousa enquadrou a participação de Portugal na iniciativa chinesa de investimento em infraestruturas “Faixa e Rota”, declarando que a maioria dos países da União Europeia também entrou e os outros estão quase.

“Portugal foi um dos 20 países da União Europeia a subscreverem o memorando”, referiu. “Portugal entrou, e de uma forma pioneira, e aquilo a que nós assistirmos é que logo a seguir entrou a maioria dos países da União Europeia. E os que não entraram ainda, estão quase a entrar – estão para entrar e com vontade de entrar”, considerou.

O fórum “Faixa e Rota” decorre junto ao Lago Yanqi, 70 quilómetros a norte do centro de Pequim, e a intervenção de Marcelo Rebelo de Sousa será num painel sobre os objetivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas e a promoção de uma “economia verde”.

Após o fórum, e ainda antes de iniciar a sua visita de Estado à China, o Presidente da República janta hoje com dirigentes das principais empresas chinesas com investimentos em Portugal.

Em 05 de dezembro, durante a visita de Estado do Presidente da China, Xi Jinping, a Portugal, os governos português e chinês assinaram um memorando de entendimento que “estabelece as modalidades de cooperação bilateral” no âmbito da iniciativa chinesa “Uma Faixa da Rota”, após meses de negociações.

O nome do documento indica que abrange “uma ampla gama de setores, com destaque para a conetividade e para a mobilidade elétrica”, mas o conteúdo não foi divulgado e, segundo fontes diplomáticas, o memorando não é juridicamente vinculativo e refere que a cooperação decorrerá em respeito pelas normas internacionais e pelas obrigações decorrentes da pertença de Portugal à União Europeia e os seus princípios.

Publicidade