O Presidente da República de Angola, João Lourenço, anunciou hoje que vai criar um Conselho de Concertação Económica, que será “um instrumento inclusivo” ao serviço dos órgãos de decisão.

“Estamos em condições de evoluir rapidamente para a criação do Conselho de Concertação Económica que integre renomadas figuras da economia, do direito, da sociologia, empresários e outros”, disse o chefe do executivo angolano, no discurso de abertura de um encontro com a sociedade civil a propósito do impacto da covid-19 nas empresas e nas famílias.

O encontro juntou cerca de 150 pessoas, entre representantes associativos, empresários, académicos, empresários e líderes religiosos, dos quais oito intervieram para apontar as dificuldades e soluções para os seus setores.

João Lourenço quis, com este encontro, solicitar contributos “na busca de uma saída” que defenda a saúde pública, caminhando ao mesmo tempo “para a normalização da vida social das pessoas”, recuperando a produção nacional de bens e de serviços, aumentando as exportações e a oferta de emprego.

“Acredito que com a abertura hoje existente e facilidade de diálogo franco e aberto entre o executivo e a sociedade civil, encontraremos os melhores caminhos no interesse das famílias, das empresas e da economia nacional”, salientou.

Quanto ao Conselho de Concertação Económica, será “um importante instrumento bastante inclusivo ao serviço dos órgãos de decisão em matéria de política económica”.

O ponto focal será o ministro para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior.

Publicidade