“Muitos tentam nos deixar de lado dizendo que o estado é laico. O estado é laico, mas nós somos cristãos (…) E esse espírito deve estar presente em todos os poderes. Por isso, o meu compromisso: poderei indicar dois ministros para o Supremo Tribunal Federal. Um deles será terrivelmente evangélico”, declarou o Presidente brasileiro.

Com mandato presidencial até 2022, Bolsonaro fará duas indicações para o STF durante o seu Governo porque os juízes Celso de Mello e Marco Aurélio Mello devem reformar-se quando atingirem a idade de 75 anos.

Na campanha presidencial, Bolsonaro contou com o apoio de muitos grupos evangélicos que são até hoje os apoiantes mais fiéis do seu Governo.

Antes de falar sobre indicar um evangélico para o STF, o chefe de Estado do Brasil já havia declarado que pretendia indicar o atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, quando houvesse uma vaga naquele tribunal.

Publicidade