José Mário Vaz disse ser este o desejo que manifestou hoje perante as campas “dos pais fundadores” da Nação guineense, no âmbito das celebrações oficiais de 20 de janeiro, dia dos heróis do país.

“Aproveitei para pedir aos pais fundadores que o dia 10 de março seja dia de Carnaval e não um dia de problemas”, afirmou aos jornalistas José Mário Vaz, após depositar coroas de flores na campa de Amílcar Cabral, fundador da nacionalidade guineense, assassinado há 46 anos.

As eleições legislativas vão ter lugar cinco dias após o Carnaval na Guiné-Bissau, que, este ano, decorre de 02 a 05 de março.

O Presidente guineense considerou que a atual geração de políticos estão a dar continuidade aos trabalhos iniciados pelos fundadores da nação, mas que é importante que todos tenham a mesma noção das suas responsabilidades para com o país.

José Mário Vaz elogiou o clima de tranquilidade e de paz que disse existir na Guiné-Bissau, destacando as liberdades de expressão, de manifestação e de imprensa, elementos que, notou, ajudam a fortalecer a democracia no país.

“São poucos, os países que gozam desta paz e desta tranquilidade que temos neste momento”, observou José Mário Vaz.

Questionado se o país irá as eleições sem que tenha sido nomeado um novo ministro do Interior, o Presidente guineense prometeu resolver a questão antes do dia da votação.

A Guiné-Bissau está sem ministro do Interior desde que José Mário Vaz exonerou Mutaro Djaló do cargo no dia 09 de novembro, na sequência de uma repressão violenta da polícia aos alunos que se manifestavam nas ruas de Bissau, exigindo o fim da greve dos professores.

Publicidade