“Este projeto terá impacto na vida de 1,4 milhões de habitantes da província de Gaza”, afirmou o chefe de Estado moçambicano, durante a cerimónia de lançamento da primeira pedra para construção da infraestrutura.

A infraestrutura, cujas obras terão um prazo de dois anos, terá uma pista de aterragem de 1.800 metros, numa área total de cerca de nove mil metros quadrados.

Para Filipe Nyusi, o aeroporto, o primeiro da província, vai facilitar a assistência das populações da região, que ciclicamente são afetadas por calamidades naturais.

“Fazemo-lo ainda na expectativa de que poderá servir como um ponto estratégico para o apoio das vítimas dos recorrentes desastres naturais como cheias, inundações e ciclones que tem afetado esta zona do país”, declarou Filipe Nyusi.

O aeroporto, que poderá gerar em fase de funcionamento cerca de 600 empregos, é resultado de um apoio dos governos da Alemanha e da China.

“O povo moçambicano saberá valorizar esta conquista”, concluiu o chefe de Estado moçambicano.

Publicidade