O Presidente são-tomense, Evaristo Carvalho, apelou esta quinta-feira aos cidadãos do seu país a “uma participação efetiva” nas eleições legislativas, autárquicas e regional do Príncipe marcadas para 7 de outubro próximo. “Quero alertar os cidadãos que no dia 07 de outubro próximo os eleitores inscritos estão convocados para mais um exercício de direito de sufrágio nos atos eleitorais de escolha de novos membros do mais alto órgão legislativo do Estado, bem como os órgãos do poder local em São Tomé e na Região Autónoma do Príncipe”, lembrou Evaristo Carvalho.

“O meu veemente apelo para que haja uma participação efetiva nos referidos atos com o sentido de responsabilidade, civismo e tranquilidade habitual”, apelou o chefe de Estado, durante as comemorações esta quinta-feira do 42.º aniversário das Forças Armadas são-tomenses.

Evaristo Carvalho defendeu que as Forças Armadas devem ser uma instituição “cada vez mais atrativa para os jovens e se transformem num verdadeiro instrumento de desenvolvimento, garantindo a paz, estabilidade e integridade territorial”. O Presidente são-tomense, que é igualmente Comandante Supremo das Forças Armadas, prometeu “total apoio a fim de que sejam sempre colocados à disposição das Forças Armadas os meios adequados ao cumprimento das suas missões”.

O chefe de Estado lembrou que São Tomé e Príncipe está situado “numa região geoestratégica e numa extensa zona económica exclusiva rica em recursos deveras cobiçados”, defendendo, por isso que a Guarda Costeira do país “deverá estar à altura de garantir a defesa e proteção de riquezas” neste espaço.

“Os investimentos a realizar neste ramo devem ser constantes com a firme aposta na mobilização de recursos técnicos humanos indispensáveis, uma vez que o paradigma de segurança mundial deve ser semelhante para as nossas forças armadas”, sublinhou. Evaristo carvalho sublinhou ainda a necessidade de se estreitar a cooperação com as forças armadas dos países da sub-região e com as da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

O Presidente deixou ainda “uma palavra de apreço” aos habituais parceiros de cooperação na área da defesa, designadamente Portugal, Brasil, Estados Unidos da América e Angola, defendendo “o estreitamento dessa cooperação especifica”.

Publicidade