Será uma visita histórica e uma oportunidade para reforçar as nossas relações”, disse Pavel Diaz Hernández, embaixador de Cuba em Moçambique.

O diplomata falava à imprensa momentos após uma reunião com o presidente da Confederação das Associações Económicas de Moçambique, Agostinho Vuma.

As datas específicas da visita de Miguel Díaz-Canel a Moçambique ainda não são conhecidas, mas o embaixador cubano garante que será em Março, estando ainda previsto também um fórum empresarial na capital moçambicana no mesmo período.

“O fórum vai servir para dar a conhecer os negócios que temos e as possibilidades de importação, reforçando a relação que existe entre estes dois povos”, declarou Miguel Díaz-Canel.

Entre as principais áreas de cooperação, o diplomata cubano destaca a produção de tabaco, o turismo e saúde como potenciais setores de cooperação, tendo em conta que Cuba é um forte produtor de charutos e Moçambique produz tabaco.

Além da então União Soviética e da China, Cuba foi um dos países que apoio a luta contra o regime colonial português em Moçambique ( entre 1964- 1975), fornecendo armamento à Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo).

Esta será a segunda vez que um chefe de Estado cubano visita Moçambique, após uma breve passagem pela Beira (centro do país) do antigo Presidente Fidel Castro em 1977.

As trocas comerciais entre Moçambique e Cuba estão orçadas em cerca um milhão de dólares anuais.

Publicidade