Segundo o decreto presidencial, enviado à comunicação social, o novo Governo é composto por 17 ministérios e 14 secretarias de Estado, informou a Lusa.

A decisão deverá aumentar a tensão política em que o país está mergulhado, a menos de um mês das eleições presidenciais. O decreto presidencial editado hoje surge na sequência da decisão de José Mário Vaz demitir o governo do primeiro-ministro Aristides Gomes.

Aristides Gomes não acatou a decisão presidencial e anunciou que se mantém à frente do governo, abrindo assim uma nova frente na disputa pelo poder na Guiné-Bissau.

Várias entidades e organizações manifestaram, entretanto, apoio a Aristides Gomes, entre elas a Comissão Europeia, a Cedeao – organização regional de que a Guiné-Bissau é país membro -, e a CPLP. O governo português também se colocou do lado de Aristides Gomes, que conta com o apoio do PAIGC, partido vencedor das eleições legislativas, mas fragilizado por antigas cisões e disputas.

Publicidade