O Presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, rejeitou hoje à Lusa em Maputo acusações de que legitimou Umaro Sissoco Embaló como Presidente da Guiné-Bissau por ter recebido o político quando ainda era candidato presidencial.

“Não, não creio [que tenha legitimado Umaro Sissoco Embaló], recebi-o e faria o mesmo se as circunstâncias voltassem a acontecer do mesmo modo, da mesma maneira”, declarou Jorge Carlos Fonseca, numa entrevista à agência Lusa.

O Presidente cabo-verdiano lembrou que uns meses antes de se reunir com Sissoco Embaló recebeu o também candidato presidencial Domingos Simões Pereira, e que já se tinha reunido com Florentino Pereira, presidente do Partido de Renovação Social (PRS) da Guiné-Bissau.

Publicidade