A taxa de juro de referência do sistema financeiro de Moçambique (prime rate) vai manter-se em 19,5% em março, anunciaram esta sexta-feira a Associação Moçambicana de Bancos e o banco central em comunicado. O valor a vigorar será o mesmo de fevereiro, depois de uma descida de 0,4 pontos percentuais face ao valor de 19,9% que vigorou durante o mês de janeiro.

Desde que foi criada, a taxa de referência tem vindo sempre a baixar e já caiu 8,25 pontos percentuais. A criação da prime rate foi acordada a 17 de maio de 2017 entre o banco central e a Associação Moçambicana de Bancos (AMB) para eliminar a proliferação de taxas de referência no custo do dinheiro e entrou em vigor a 1 de junho de 2017.

O objetivo é que todas as operações de crédito sejam baseadas numa taxa única, “acrescida de uma margem (spread), que será adicionada ou subtraída à prime rate mediante a análise de risco” de cada contrato, explicam os promotores.

Noutra tabela esta sexta-feira divulgada pela Associação Moçambicana de Bancos e o banco central é apresentado o spread padrão (acréscimo à taxa de juro) de 17 instituições de crédito.

No crédito a particulares e consoante o banco, essa margem pode variar entre 2,50 e 30,20 pontos percentuais para o crédito ao consumo e entre um e seis pontos para crédito à habitação. No crédito às empresas, a margem pode ser nula ou ir até 21,80 pontos para empréstimos a um ano, ou variar entre um e 21,80 pontos para prazos maiores.

As operações de leasing estão sujeitas a spreads entre dois e 7,75 pontos para leasing mobiliário e entre 1,50 e 7,75 para leasing imobiliário.

Publicidade