O Partido dos Trabalhadores (PT) formalizou, este domingo, a pré-candidatura de Lula da Silva para as eleições presidenciais de outubro, no meio de um país paralisado pela escassez de combustível e comida devido à greve dos camionistas.

Perante a paralisação das ruas, os órgãos de comunicação desvalorizaram as manifestações e as marchas convocadas pelo PT para este domingo, dia em que decidiram oficializar a pré-candidatura do ex-Presidente, atualmente a cumprir uma pena de 12 anos de prisão.

Sob o slogan “Aquecimento da pré-candidatura de Lula”, as mobilizações do PT arrancaram na manhã de domingo e reuniram parlamentares, militantes e membros de movimentos sociais, que participaram em São Paulo e em pelo menos outras 30 cidades do país.

O antigo chefe de Estado brasileiro, que quer concorrer à Presidência novamente em outubro, foi condenado a 12 anos e um mês de prisão, em regime fechado, no Tribunal Regional da 4.ª Região (TRF4, segunda instância) em janeiro.

A prisão do ex-chefe de Estado está relacionada com um dos processos da Operação Lava Jato, o maior escândalo de corrupção do Brasil.

Lula da Silva foi condenado por ter recebido um apartamento de luxo como suborno da construtora OAS para favorecer contratos com a petrolífera estatal Petrobras.

Publicidade