“O Qatar decidiu retirar-se de membro da OPEP em Janeiro de 2019”, disse Saad Al-Kaabi (n foto) durante uma conferência de imprensa em Doha, acrescentando já ter informado a organização sobre esta decisão.

O Qatar continuará a produzir petróleo, mas vai concentrar-se na produção de gás, explicou Saad Al-Kaabi. O Qatar é o maior exportador mundial de gás natural em estado líquido.

“Não temos muito potencial [em petróleo], somos muito realistas, o nosso potencial é o gás”, disse.

O ministro, antigo CEO da Qatar Petroleum, a empresa estatal que opera todas as actividades de petróleo e gás no país, assegurou que a decisão de deixar a OPEP “não tem nada que ver com o bloqueio económico” que a Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos (EAU), Bahrein e Egipto impuseram a Doha desde Junho de 2017.

O Qatar é membro da OPEP desde 1961.

Publicidade