As peças foram arrematadas no Piasa, um espaço especializado em leilões na capital francesa, num evento que decorreu sob o tema “Art Contemporain Africain”.

O artista angolano viu as duas únicas peças com as quais se fez representar no Piasa arrematadas por 32.500 e 27 mil euros, respectivamente. Trata-se dos quadros “Les Cartes” e “Dia do Homem”, ambos produzidos na dimensão de 200 por 220 centímetros, com a técnica de acrílico sobre tela.

Anteriormente, as peças estiveram com o pintor em residência artística, no perío-do de 27 de Outubro a 24 de Novembro, na Galeria portuguesa Ainori Contemparary Art, com outras 12 obras de pintura e instalação. 

O leilão decorreu de 10 de Novembro a 14 deste mês e recebeu 88 artistas africanos contemporâneos, sendo Mangovo o único angolano, numa lista em que se realça os moçambicanos Gonçalo Mabunda e Malangatana, Chérie Samba (República Democrática do Congo), Aboudia (Costa do Marfim), Sadikou Oukpedjo (Togo), Diane Victor (África do Sul) e Dominique Zinqpè (Benin).  

Exposição em Portugal

A mostra “Nas Ruas de Lisboa” levou Cristiano Mangovo a tornar-se no primeiro artista a expor de forma individual na Galeria Ainori Contemparary Art. 

Mangovo esteve de 27 de Outubro a 24 de Novembro 2018 em residência artística, onde desenhou, pintou e construiu em telas, aspectos da vida urbana, monumentos e personalidades históricas portuguesas e de África.

Os assuntos em abordagem são o reflexo da influência que o artista viveu nas viagens que efectuou. Desenhos como o movimento dos turistas nos espaços públicos, representação de amigos  com o corpo de peixes, uma proposta para a reflexão ao ecossistema, a necessidade de se cultivar o amor, por forma a evitarem-se conflitos e a preocupação das pessoas em saber mais sobre o que se passa em Angola dominam as propostas das peças da mostra, cujas técnicas usadas são o acrílico sobre tela, mista e colagens sobre tela.

Publicidade