Quatro livros de moçambicanos com selo “Altamente Recomendável” no Brasil

0

Na aldeia dos crocodilos, de Adelino Timóteo; O caçador de ossos, de Carlos dos Santos; Leona, a filha do silêncio, de Marcelo Panguana; e O pátio das sombras, de Mia Couto. Estes são os quatro livros infanto-juvenis de autores moçambicanos, publicados pela editora Kapulana no Brasil, que mereceram a indicação “Altamente Recomendável”, na categoria “Literatura em Língua Portuguesa”. O reconhecimento foi feito pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), no Brasil, e é atinente aos livros publicados ano passado.

A indicação “Altamente Recomendável” a Na aldeia dos crocodilos surpreendeu Adelino Timóteo, pois nunca algo de género tinha-lhe acontecido no estrangeiro. “E por ser um infanto-juvenil, faz deste reconhecimento mais especial. Penso que tal aconteceu porque, de alguma forma, trato, no meu livro, um tema que, sendo sobre Moçambique, também tem que ver com Brasil e com a América Latina em geral: o realismo mágico, que caracteriza os grandes mestres de quem aprendi”.

Para Marcelo Panguana, este reconhecimento quer dizer que, de sua parte, tem realizado um trabalho delicado. E, em geral, a distinção demonstra que há qualidade literária em Moçambique. “Estamos a produzir uma literatura surpreendente, com escritores ao nível de vários autores de fora. Agora, o que precisamos é de internacionalização a acontecer através de reconhecimento desta natureza. Portanto, estamos a crescer e espero que esta distinção incentive-nos a escrever cada vez melhor”.

Ao contrário de Timóteo e Panguana, Carlos dos Santos tem uma percepção diferente sobre a indicação “Altamente Recomendável” a Na aldeia dos crocodilos; O caçador de ossos; Leona, a filha do silêncio; e O pátio das sombras. A questão daquele autor é: por que o reconhecimento aos livros em causa acontece apenas agora. E adianta: “as instituições moçambicanas ligadas ao livro deveriam ocupar-se mais em promover as obras literárias no estrangeiro, porque está visto que a nossa literatura é apreciada fora. Alguns dos quatro livros agora considerados “Altamente Recomendável”, no Brasil, inclusive O caçador de ossos, foram adoptados pelo Plano Nacional de Leitura de Portugal. Portanto, esta do Brasil é uma segunda distinção. Se o Fundo Bibliográfico de Língua Portuguesa e entidades moçambicanas ligadas à literatura se ocupassem em promover o livro, teríamos mais autores nacionais apreciados pelo mundo fora”, afirmou este domingo Carlos dos Santos.    

Os quatro livros infanto-juvenis foram publicados na coleção brasileira “Contos de Moçambique”, da editora Kapulana, e, cá no país, chegaram às livrarias pela Escola Portuguesa.

Agora com o selo “Altamente Recomendável”, Na aldeia dos crocodilos, O caçador de ossos, Leona, a filha do silêncio e O pátio das sombras concorrem ao Prémio FNLIJ, cujos vencedores serão anunciados até próximo mês.

Publicidade