Em comunicado, emitido na sequência de uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros, é referido que o Governo “fixa o dia 19 de dezembro de 2018, como data limite do recenseamento eleitoral em toda a extensão do território nacional e na diáspora, inclusivamente”.

O Governo apela também a “todos os membros das brigadas de recenseamento para redobrarem esforços em ordem ao registo dos cidadãos que, por diversos motivos, ainda não o fizeram, particularmente nas zonas de maior dificuldade”.

O primeiro-ministro guineense, Aristides Gomes, propôs hoje, numa reunião com os partidos políticos, a realização das eleições legislativas a 17 de fevereiro.

Na reunião, foram também apresentadas as datas de 24 de fevereiro e de 10 de março como possíveis para a realização do escrutínio.

A reunião entre o Governo e os partidos políticos, que acabou por ser suspensa devido a compromissos de agenda do primeiro-ministro, deve ser retomada ainda esta semana.

A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), que tem estado a mediar o conflito político na Guiné-Bissau, pediu que as legislativas fossem marcadas até à cimeira de líderes da organização, que vai realizar-se sábado.

As eleições legislativas na Guiné-Bissau estiveram inicialmente marcadas para 18 de novembro, mas atrasos na preparação do processo eleitoral levaram ao seu adiamento.

Publicidade