Segundo o regulador bancário, as remessas enviadas pelos portugueses a trabalhar em Angola passaram de 18,71 milhões de euros em setembro do ano passado para 22,17 milhões de euros em setembro deste ano, o que representa um aumento de 18,49%

Em consequência, as remessas dos portugueses a trabalhar nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) aumentaram 17,35%, resultado do crescimento de 19,54 milhões de euros em setembro de 2018 para 22,93 milhões em setembro deste ano.

No sentido inverso, houve uma quebra das verbas enviadas para Angola pelos imigrantes em Portugal, que passaram de 890 mil euros em setembro do ano passado para 740 mil euros, em setembro de 2019.

No total mundial, as remessas dos emigrantes baixaram 5,23% em setembro, para 308,89 milhões de euros, ao passo que as verbas enviadas pelos trabalhadores estrangeiros em Portugal caíram 18,23%, para 37,09 milhões de euros.

Segundo o Banco de Portugal, as remessas enviadas pelos portugueses a trabalhar no estrangeiro aumentaram de 325,95 milhões de euros, em setembro do ano passado, para 308,89 milhões em setembro deste ano, o que representa uma quebra de 5,23%.

Em sentido inverso, as verbas enviadas pelos imigrantes em Portugal para os seus países de origem diminuíram de 45,36 milhões de euros em setembro do ano passado para 37,09 milhões de euros no mesmo período deste ano, representando uma quebra de 18,23%.

Publicidade