O gabinete de estudos económicos do Banco de Fomento Angola disse hoje que as reservas internacionais líquidas de Angola subiram 11,2% no ano passado, para 11,8 mil milhões de dólares, acima do acordado com o FMI.

“As reservas internacionais líquidas chegaram a 11,8 mil milhões de dólares [10,7 mil milhões de euros] no final de 2019, um aumento anual de 1,2 mil milhões de dólares [1,08 mil milhões de euros], representando 11,2%, e 2,8 mil milhões de dólares [2,5 mil milhões de euros] acima do valor acordado com o Fundo Monetário Internacional (FMI), que é de 9,4 mil milhões de dólares [8,5 mil milhões de euros]”, lê-se na nota enviada hoje aos clientes.

No documento, a que a Lusa teve acesso, os analistas acrescentam que face a novembro as reservas caíram ligeiramente, 500 milhões de dólares (453 milhões de euros), representando mais de 6 meses e meio de importações.

Na análise, os economistas sublinham também que os empréstimos que os bancos tem dificuldades em cobrar (crédito malparado) representavam 34,6% do total em setembro do ano passado, o que revela uma subida de 6,9 pontos percentuais relativamente ao mesmo período de 2018.

Publicidade