As reservas internacionais líquidas de Cabo Verde a 30 de Agosto de 2019 ascendiam a 623 milhões de euros, sendo 68% em euros e 32% em dólares, revelou hoje BCV em nota de imprensa.

De acordo com informações do Banco de Cabo Verde (BCV), que se enquadra no âmbito do I Encontro dos Bancos centrais da CPLP a ter lugar no país, os investimentos em títulos governamentais e financeiros, na mesma data, ascendiam a 79%, face aos 21% de depósitos a prazo e à ordem junto dos correspondentes do Banco Central.

Ainda BCV, não obstante a crise que assolou os mercados financeiros internacionais a partir de 2008, as medidas adotadas atempadamente contribuíram para assegurar a estabilidade das reservas, em risco e performance.

“Num contexto de incerteza e riscos crescentes, o BCV tem vindo a estabelecer parâmetros de gestão rigorosos, visando a preservação do capital, reforçando igualmente a liquidez dos investimentos, tendo sempre presente o perfil de risco conservador assumido pela instituição”, lê-se na nota de imprensa.

O Banco Central informa ainda que para fazer face às condições adversas por que passam os mercados financeiros internacionais, com taxas de juro reduzidas e negativas, foram constituídas carteiras de investimentos, com maturidades mais longas, denominadas em EUR (euro) e USD (dólar), sob a gestão direta do BCV, procurando a implementação de estratégias de diversificação, de modo a garantir uma alocação mais eficiente das reservas.

E porque a gestão de ativos externos e dos riscos inerentes enfrentam, atualmente, importantes desafios, num contexto internacional de incerteza, com taxas de juros negativas, oportunidades de investimento reduzidas e riscos potenciais acrescidos, a matéria segundo BCV merece um espaço de discussão, que possibilite a troca de experiências e partilha de boas práticas, com vista ao seu aperfeiçoamento.

Publicidade