O título posicionou “Dor e Glória”, inspirada na vida do próprio Almodóvar, à frente de êxitos deste ano como “Era uma vez em… Hollywood”, de Quentin Tarantino, na terceira posição, e “O irlandês” [The Irishman, na versão original], de Martin Scorcese, que ficou em segundo.

A Time qualifica o trabalho de Antonio Banderas, o ator protagonista, como “a interpretação da sua vida”, e descreve Penélope Cruz, mãe da personagem central, como “radiante”.

“‘Dor e Glória’ pode ser o filme mais resplandecente e comovente de Almodóvar, um panorama de cores vibrantes e emoções mais intensas”, acrescenta a Time.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here