A Rússia foi excluída dos Jogos Olímpicos durante quatro anos, devido a questões de “doping” levadas a cabo com o apoio estatal tornadas públicas há cerca de seis anos, anunciou a Agência Mundial Antidopagem (AMA).

De acordo com um porta-voz da AMA, “a decisão tomada por unanimidade”, determina a exclusão da Rússia dos Jogos Olímpicos de Verão Tóquio2020, de Inverno Pequim2022 e de todos os campeonatos do Mundo, e prevê a possibilidade de os atletas competirem sob bandeira neutra.

Com esta decisão a seleção russa não poderá participar nos Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio, nem no Campeonato do Mundo de 2022, no Qatar.

Ao contrário a Rússia vai acolher os jogos do Euro2020 de futebol e a final da Liga dos Campeões em 2021, apesar da suspensão de quatro anos por “doping”, anunciou Viacheslav Koloskov, presidente honorário da União de Futebol da Rússia.

Essa decisão não afeta de maneira nenhuma a celebração dos jogos do Europeu de 2020 e a final da Liga dos Campeões. A decisão da Agência Mundial Antidopagem (AMA) não anula a decisão da UEFA. Não há motivos para isso“, disse Koloskov, antigo vice-presidente da FIFA, à agência Interfax.

A cidade russa de São Petersburgo vai acolher três jogos da fase de grupos do Euro2020 em junho do próximo ano, bem como um jogo dos quartos de final em julho. A mesma cidade vai receber a final da Liga dos Campeões em 2021.

O campeonato da Europa de 2020 vai ser disputado em 12 cidades de outros tantos países, incluindo São Petersburgo: paralelamente, a Rússia também está qualificada.

A decisão, tomada pelo comité da AMA que avalia o cumprimento dos regulamentos, é passível de recurso para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS).

Publicidade