De acordo com essas denúncias, a vice-governadora do banco central são-tomense (BCSTP, Massari Lima Fernandes de Sousa Pontes, usou uma avultada soma em dinheiro para a compra de um apartamento em Portugal que custou mais de 250 mil euros.

O principal partido da oposição considera que é preciso apurar esses fatos porque “as informações a circular a nível das redes sociais e da opinião pública tanto interna como externa deixam muito mal a imagem do país perante os parceiros”.

“Associado a isso está todo o processo e as tramitações sobre a questão da nova família da Dobra (moeda são-tomense) que chega ao país”, adianta Arlindo Barbosa, secretario geral dos sociais democratas.

“Nós, o MLSTP, consideramos que os procedimentos indiciam atos de corrupção, não foram, na nossa opinião, transparentes”, disse Arlindo Barbosa, sublinhando que cabe agora o Ministério Público fazer o seu papel, mas pedindo celeridade no esclarecimento deste processo.

“Nós fizemos o nosso trabalho, demos entrada com o pedido de abertura de um inquérito criminal. Agora vamos acompanhar com atenção e na devida altura, se não avançar, a nível do foro do partido teremos outra posição”, acrescentou.

O MLSTP-PSD apela ao Ministério Público para que “avance com esse e outros processos”, referindo que “se aproxima o período eleitoral” e não quer “que depois venham dizer que é campanha”, explicou o secretario geral do principal partido da oposição.

Publicidade